Desfeito um mistério: os vikings podem ter pisado na América muito antes de Colombo

Desfeito um mistério: os vikings podem ter pisado na América muito antes de Colombo
  •  

Pode confessar aqui para a gente, você também é fã de “Vikings” e “The Last Kingdom”, ambas produções disponibilizadas por uma certa provedora global de filmes e séries de televisão via streaming...

É ou não é?

Bom, você sabia que aventureiros noruegueses navegaram em busca de pistas dos bárbaros, exploradores, guerreiros, comerciantes e piratas nórdicos que invadiram, exploraram e colonizaram grandes áreas da Europa e das ilhas do Atlântico Norte a partir do final do século VIII até ao século XI?

Ufsss...tudo isso para falar dos...vikings!

Em 1960, um casal norueguês – o aventureiro Helge Ingstad e sua esposa, a arquiteta Anne Stine – navegou até um distante e pequeno vilarejo de pescadores no extremo norte de Terranova, na costa atlântica do Canadá.

Ao visitarem o lugar perceberam que era muito parecido com o que tinham visto na Groenlândia. 

Rio que ainda tem salmão, um terraço marinho, praia elevada (e coberta com grama), além dos contornos característicos das casas...

Por muito tempo, a área foi chamada de “campo indiano” porque os habitantes locais acreditavam que, no passado, tinha pertencido a povos indígenas.

Porééém, quando o casal de exploradores aportou por lá e notou as semelhanças com o território autônomo da Dinamarca, percebeu que, sim, estava diante de provas físicas – efetivas – de que, há mil anos, os vikings foram da Groenlândia para a América do Norte.

Tá...e o que tem isso de tão incrível?

Ora, significa que os amigos de Ragnar Lothbrok e Uhtred de Bebbanburg podem muito bem ter sido os primeiros europeus no continente americano. E chegaram quinhentos anos antes de Cristóvão Colombo, navegador e explorador italiano, responsável por liderar a frota que alcançou a América em 1492, ou seja, de acordo com a História, o primeiro europeu a chegar ao continente – que tem cerca de 15 mil quilômetros – localizado no hemisfério ocidental e que se estende, no sentido norte-sul, desde o oceano 

Ártico até o cabo Horn.

Ah, esses vikings!

Só nos resta encerrar com o brinde característico deles: “Skol!”

Era assim que os vikings celebravam o retorno de seus guerreiros das batalhas. Eles eram recebidos com canecos de cerveja, considerada uma bebida fortificante.


[Fonte: G1 // Ciência e Saúde] 




Ultimas Notícias

Educador (a), confira o curso de pós em “Tecnologias Aplicadas À Educação”, à distância, que preparamos para a sua atualização profissional!

Postado por:

Graduado (a) em Educação, você sabe – mais do que ninguém – que o aprimoramento de conhecimentos é fundamental para que uma pessoa possa seguir em frente e alcançar o que se costuma chamar de sucesso profissional, certo? 

LEIA MAIS

Em um passado remotíssimo humanos começaram a falar. Segundo cientistas há algo de Magali nessa história

Postado por:

E aí aquele “ser fofo”, pequenininho, que saiu da barriga da mãe “praticamente ontem”, que cresceu incrivelmente rápido e que já ensaia seus primeiros passos sozinho...também já está treinando as primeiras palavras!

LEIA MAIS

Enquanto o socorro não chega, compressões no tórax constituem a técnica certa para ressuscitação em caso de parada cardíaca

Postado por:

Uma das situações mais aflitivas que existem é quando alguém apresenta parada cardíaca, quem está por perto não sabe identificar os sinais e, em função disso, uma vida acaba por se perder rapidamente.

LEIA MAIS

Anabolizantes: esculpem o corpo por fora, fazem muito mal à saúde por dentro

Postado por:

Corpo bem definido, cheio de músculos: o sonho de muita gente.

LEIA MAIS

Pesquisadores anunciam que estão fazendo testes com medicamento que visa oferecer maior qualidade de vida a crianças portadoras de nanismo

Postado por:

Cientistas do Instituto Murdoch de Pesquisa Infantil de Melbourne, na Austrália (em parceria com as equipes do Hospital Infantil Evelina London e de outros institutos de pesquisa na França e nos Estados Unidos), informaram ao mundo que têm trabalhado no desenvolvimento de um medicamento que visa melhorar a qualidade de vida de crianças portadoras de nanismo.

LEIA MAIS

Pós-Graduação Unincor - Todos os Direitos Reservados.