Relatório da ONU aponta novo recorde mundial na taxa de emissão de CO2. Na contramão, Brasil reduziu sua parcela de contribuição com o efeito estufa

Relatório da ONU aponta novo recorde mundial na taxa de emissão de CO2. Na contramão, Brasil reduziu sua parcela de contribuição com o efeito estufa
  •  

O corte rápido na emissão de CO2 é mais do que urgente para que a vida humana possa se manter – com qualidade – na Terra.

Foi este o recado que a Organização Meteorológica Mundial – agência especializada da Organização das Nações Unidas (ONU) – deu ao mundo no último dia 22.

A advertência tem por base um número bem assustador. 

A quantidade de gás carbono na atmosfera atingiu um novo recorde – de 405,5 partículas por milhão – em 2017.

E, segundo a agência, não há qualquer chance de reversão (para se ter um comparativo, a quantidade de emissões em 2016 foi de 403,3 partículas por milhão).

O que isso significa, exatamente?

Que, sem cortes rápidos em CO2 e outros “gases estufa”, as mudanças climáticas terão efeitos destrutivos e irreversíveis sobre a vida na Terra.

Se você tem acompanhado o noticiário viu que, em 2018, Portugal e Estados Unidos sofreram com incêndios florestais que promoveram destruição e mortes. A Índia assistiu à passagem de um ciclone e o Irã teve de contabilizar feridos após terremoto que sacudiu o país. 

O secretário-geral da Organização Meteorológica Mundial, Petteri Taalas, foi bem claro em suas considerações sobre a necessidade premente do corte de CO2: “A ciência é clara. A janela de oportunidade para ação está quase fechada".

Mas nem tudo é notícia ruim. De acordo com o relatório produzido, o Brasil, felizmente, tem feito sua “lição de casa” quando o assunto é refrear o aquecimento global.

Em 2017 reduzimos em 2,3% nossas emissões de gases responsáveis pelo efeito estufa. Em números absolutos significa dizer que geramos – no ano passado – 2,071 toneladas brutas, contra 2,119 bilhões de toneladas em 2016.

A explicação oficial dá conta de que tal contenção deveu-se à diminuição na taxa de desmatamento na Amazônia (a destruição da floresta caiu 12% no mesmo período).

Conclui-se então que, tendo vontade legítima empenhada, é possível trabalhar pela preservação do meio ambiente, certo?


[Fonte: G1 // Natureza] 




Ultimas Notícias

Saiba como a alimentação contribui para a saúde ao longo da vida

Postado por:

Qual é a sua relação com a comida?

LEIA MAIS

Universidade Vale do Rio Verde oferece curso de pós, à distância, em “Fisiologia, Avaliação e Prescrição de Exercício Físico”. Excelente acréscimo para profissionais da área de Saúde!

Postado por:

Se você é das áreas de Educação Física, Nutrição, Psicologia, Fisioterapia, Medicina (ou demais setores da Saúde) e está procurando por acréscimo nos conhecimentos, nós, da Universidade Vale do Rio Verde, temos uma excelente oportunidade para oferecer.

LEIA MAIS

Contadores brasileiros, hoje as homenagens são todas para vocês!

Postado por:

Você sabia que – quando se trata de gerência de atividades financeiras –  existem dois profissionais ligados ao assunto, o contador e o contabilista?

LEIA MAIS

Educação Física infantil: ferramenta fundamental para o desenvolvimento humano

Postado por:

Vamos conversar sobre a Educação Física e o desenvolvimento infantil?

LEIA MAIS

Unincor oferece curso de pós-graduação, à distância, em “Filosofia”

Postado por:

Se você é graduado (a) na área de Humanas e tem um carinho especial – assim como o grego Pitágoras – pelo estudo das questões gerais e fundamentais relacionadas com a natureza da existência humana, do conhecimento, da verdade, dos valores morais e estéticos, da mente, da linguagem, bem como do universo em sua totalidade, nós, da Unincor, temos uma excelente opção de aprimoramento acadêmico para enriquecer seus conhecimentos.

LEIA MAIS

Pós-Graduação Unincor - Todos os Direitos Reservados.
POLÍTICA DE TROCA, DEVOLUÇÃO E ARREPENDIMENTO
CNPJ 54.933.536.0001/99