O que será que um professor, filósofo das antigas, pensa a respeito da internet? Conheça um pouco de Jürgen Habermas, o pensador vivo mais influente do mundo

O que será que um professor, filósofo das antigas, pensa a respeito da internet? Conheça um pouco de Jürgen Habermas, o pensador vivo mais influente do mundo
  •  

Em tempos de hipertecnologia, será que ainda há espaço para as elucubrações da Filosofia?

Se depender de Jürgen Habermas, o filósofo vivo mais influente do mundo, claro que sim!

Discípulo de Adorno e sobrevivente da Escola de Frankfurt, o velho professor alemão, mantém com mão de ferro – e perto de completar 89 anos – seus julgamentos sobre
as questões essenciais de hoje e de sempre.

Perguntado, por exemplo, se acredita que a Internet – por conta de suas vantagens – criou uma espécie de novo analfabetismo, o professor respondeu que, desde a invenção do livro impresso (que transformou todas as pessoas em leitores potenciais) foi preciso passar séculos até que toda a população aprendesse a ler.
 
Com a rede mundial de computadores, na opinião dele, não será diferente.
 
“O recurso, que nos transforma todos em autores potenciais, não tem mais do que duas décadas. É possível que com o tempo aprendamos a lidar com as redes sociais, por exemplo, de forma civilizada”, disse o filósofo.

E qual será o papel da Filosofia neste cenário preenchido por bits e bytes?

Habermas responde, sereno: “sou da antiquada opinião de que a Filosofia deveria continuar tentando responder às perguntas de Kant (o que é possível saber?; o que devo fazer?; o que me cabe esperar?; o que é o ser humano?), porém, não tenho certeza de que a Filosofia, como a conhecemos hoje, tenha futuro.

De acordo com ele, o estudo das questões gerais e fundamentais relacionadas com a natureza da existência humana, assim como todas as disciplinas, deve seguir a corrente da especialização cada vez maior. E aí está – ainda segundo as impressões do professor – o beco sem saída.

Por quê?

Porque “a Filosofia deveria tentar explicar o todo e contribuir para a explicação racional de nossa forma de entender a nós mesmos e ao mundo”.


[Fonte: https://brasil.elpais.com]




Ultimas Notícias

Mais chances nas transfusões: pesquisadores conseguem transformar sangue tipo A em universal

Postado por:

Você já deve ter ouvido por aí algumas vezes que o sangue tipo O é considerado como doador universal, certo? Isso acontece porque essa variedade do plasma humano carece de antígenos, moléculas de açúcar presentes na superfície de seus glóbulos vermelhos. Esta ausência impede que – em caso de necessidade de transfusão, por exemplo – o sistema imunológico acabe por atacar e matar glóbulos vermelhos correspondentes a fator RH diferente daquele do paciente.

LEIA MAIS

Há 2,5 mil anos, a China já usava a maconha com fins recreativos

Postado por:

Vai não vai vemos notícias na imprensa sobre famílias que seguem lutando na Justiça pela obtenção de permissão para usar a maconha com fins terapêuticos. A Ciência já sabe que o canabidiol (derivado da erva) e o THC (substância psicoativa presente na planta) têm propriedades medicinais e que podem ser usados como remédios – com a devida supervisão – por exemplo, em quadros de epilepsia, ansiedade, esclerose múltipla e dor crônica.

LEIA MAIS

Parabéns pelo seu dia, profissional de Mídia!

Postado por:

Neste 21 de junho celebramos o Dia do Profissional de Mídia. 

LEIA MAIS

Pesquisa americana revela: consumo de carne de frango, em substituição à bovina, já contribui bastante com as causas ambientais

Postado por:

Um novo estudo – realizado com 16,8mil pessoas nos Estados Unidos – revelou que o consumo da carne de frango em lugar da bovina, por si só, já é capaz de operar grandes alterações no meio ambiente.

LEIA MAIS

Estudo canadense revela que todos temos – sim – um “tipo” preferido quando o assunto é amor

Postado por:

Sabia que um estudo mostrou que – de fato – as pessoas, em geral, têm um “tipo” preferido quando o assunto é namoro?

LEIA MAIS

Pós-Graduação Unincor - Todos os Direitos Reservados.